Traduzir

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Gravidez

É uma ocasião espetacular na vida da mulher. Para o desenvolvimento de um novo ser, o corpo da mulher passa por inúmeras mudanças. Todos os Sistemas do corpo alteram o seu funcionamento, sendo o Sistema Endócrino um dos mais responsáveis por essas mudanças.

Nesta publicação vou-me centrar nas alterações posturais.

Há medida que o útero aumenta o tamanho, o feto vai-se desenvolvendo, e o perímetro abdominal fica cada vez maior. 
Isso provoca uma projeção das ancas para a frente e para o exterior, os membros inferiores ficam assim voltados para fora.
A curvatura lombar da coluna fica mais acentuada, ou seja vai mais para a frente, podendo por vezes notar-se uma pequena concavidade ao longo da coluna lombar. O osso sacro acompanha o movimento das lombares e também vai para a frente, enquanto o cóccix (ultimo osso da coluna) fica mais saliente - esta alteração é importante depois durante o parto.
Por sua vez a curvatura dorsal também acentua, não só para compensar este aumento da curvatura lombar, mas também porque o peso dos seios aumenta. Ficando por vezes os ombros mais caídos para a frente.
Em consequência a cabeça tem tendência a vir para trás, estando a curvatura cervical aumentada, permitindo um melhor equilíbrio na distribuição do peso corporal. Assim o peso do corpo já não é todo concentrado à frente.
Estas alterações são promovidas pelo tecido Conjuntivo e pelas Cadeias Musculares (é um tema que falarei em outra publicação).
E é claro que nem em todas as gestações ocorrem exactamente estas mudanças, isto é o que ocorre na grande maioria.




A estrutura tem que estar preparada para que estas alterações se possam processar, por que caso contrário o organismo pode não encontrar forma de seguir a gestação. Os abortos espontâneos ou os partos prematuros não acontecem por obra do acaso. Ocorrem quando o organismo não tem mais capacidade de seguir a gestação, e isso pode-se dar por inúmeros motivos, que podem ser desde alterações emocionais até desequilíbrios na estrutura que não permitem que o feto se continue a desenvolver.

Quando as ancas não estão corretamente alinhadas, quando há desequilíbrios na elasticidade muscular, quando os ligamentos estão demasiado tensos e não permitem movimentações nos ossos, tudo isto são situações que podem causar sérias dificuldades na gravidez. E mesmo até durante o parto podem haver complicações decorrentes do mesmo.

A altura ideal para se corrigir a estrutura é antes de engravidar. Contudo após a gravidez começar pode-se sempre ajudar, especialmente para alivio das dores. Pessoalmente pratico Osteopatia Estrutural só até ao 3º mês de gravidez. Daí em diante, uso outras técnicas como o Método Cyriax e a Massagem do Tecido Conjuntivo.

O objetivo é ajudar a que todas as alterações no corpo sejam experienciadas de forma mais atenuada, e contribuir para que toda a gestação seja vivida com maior deleite.